CRIMENOTÍCIAS

Repórter da TV Record é acusado de importunação sexual na televisão

O repórter Gerson de Souza, da TV Record, foi acusado pela promotora Maria do Carmo Galvão de Barros Toscano, do Ministério Público de São Paulo, pelo crime de importunação sexual contra quatro jornalistas da Record.

Segundo ela, o caso ocorreu no ambiente de trabalho do programa Domingo Espetacular. A acusação foi protocolada na Justiça na última segunda-feira, 3. Se condenado, a pena de prisão é por até cinco anos.

A denúncia ocorreu depois que 12 mulheres procuraram o departamento de Recursos Humanos da Record e afirmaram terem sido vítimas de assédio sexual por parte de Gerson.

Revolta – Segundo elas, o repórter constrangia com toques físicos e palavras maliciosas. Há um ano e dois meses, ele causou revolta ao surpreender uma produtora com um beijo na boca.

De acordo com o Ministério Público, as investigações do 23º DP (Perdizes) de São Paulo concluíram que Souza “por diversas vezes e de forma continuada, importunava as vítimas com palavras maliciosas, comentários de conotação sexual, gestos obscenos e toques lascivos e não consentidos, com elas mantendo contato físico inoportuno, constrangendo-as dentro do local de trabalho”.

Afastamento – Gerson de Souza foi incurso quatro vezes no artigo 215-A, combinado com o artigo 71 do Código Penal, que trata do crime continuado. O jornalista está afastado dos trabalhos desde maio do ano passado, mas continua recebendo seus salários. 

Procurados, os advogados de Gerson de Souza disseram apenas que, “como o caso tramita em segredo de Justiça, por enquanto registramos apenas que a inocência do Gerson será demonstrada”. 

Fonte: Notícias da TV

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar