DENÚNCIANOTÍCIAS

Prefeitura de Capitão Poço pretende gastar mais de R$ 1 milhão em caixões e traslado de corpos no município

As projeções muito para cima de mortes por Covid-19, em municípios do interior do Pará, estão se mostrando , a cada dia, mais absurdas. Depois da Prefeitura de São Miguel do Guamá, outra compra milionária de caixões é denunciada, desta vez, em Capitão Poço.

A Prefeitura Municipal de Capitão Poço publicou um Aviso de Licitação em edição do Diário Oficial do Estado (DOE), no dia 29 de junho de 2020, página 52, para fornecimento de urnas e traslado para pessoas de baixa renda naquele município. A data de abertura do pregão eletrônico estava marcada para o dia 10 de julho passado, mas ainda não foi concretizada.

Publicação no Diário Oficial do Estado no dia 29 de junho de 2020

Tudo estaria dentro da normalidade se essa compra e o serviço não estivessem estimados no valor de mais de R$ 1 milhão. Isso, mesmo, R$ 1.036.365,00 (Um Milhão, Trinta e Seis Mil, Trezentos e Sessenta e Cinco Reais).

Os detalhes da licitação estão no portal do Tribunal de Contas do Município (TCM-PA). E os dados são assustadores na projeção de mortes feita pelo município.

Óbitos – Os dados mostram que a Prefeitura de Capitão Poço projetou a morte de 1.200 adultos e 600 crianças. O que daria um total 1.800 mortes no geral.

Uma projeção totalmente fora da realidade, visto que, até a segunda-feira, 20, apenas 30 mortes foram registradas pela Secretaria Municipal de Saúde de Capitão Poço.

Dados da compra no portal do TCM-PA

O portal do TCM-PA mostra que, até este momento, não houve interessados na licitação. Mas, imaginemos se o contrato fosse concretizado. Como o prefeito de Capitão Poço, João Tonheiro (PR), iria explicar essa discrepância de dados. Como justificar a projeção de 1.800 mortes no município, quando, na realidade, as mortes são de apenas 30 pessoas?

O portal do TCM-PA mostra que a licitação ainda não foi realizada
Boletim da Prefeitura de Capitão Poço de segunda-feira, 20, que mostra a trigésima morte por Covid-19 ocorrida naquele município

Caso semelhante – O caso de Capitão Poço se assemelha ao da Prefeitura de São Miguel do Guamá, que comprou 1.150 caixões e no município, as mortes não passam de 25 pessoas.

Veja reportagem aqui: https://parawebnews.com/prefeito-de-sao-miguel-do-guama-usa-verbas-federais-de-combate-a-covid-19-para-comprar-1-150-caixoes/

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar