DENÚNCIA

Bebê tem cabeça arrancada durante o parto na Santa Casa de Misericórdia do Pará

O parto de uma criança terminou em tragédia na manhã deste sábado, 17, na Fundação Santa Casa de Misericórdia, em Belém. Um bebê teve a cabeça arrancada no momento do parto. A família, que é de Ourém, no nordeste do Pará, denuncia que a equipe médica do hospital forçou um procedimento normal, ao invés de proceder com a cesariana.

A mãe da criança foi transferida de Ourém para Belém com 8 meses de gestação. Ela permaneceu internada na Santa Casa e por orientação do médico que a acompanhava, o parto deveria ser cesariana. Familiares também relataram que a jovem fez todos os exames necessários antes do parto e não foi detectada nenhuma anormalidade com a criança que pudesse interferir em seu nascimento.

Antecipação – O governador do estado, Helder Barbalho, antes que a notícia fosse propagada, neste sábado, 17, já que foi publicada no jornal da família dele, o Diário do Pará, se manifestou nas redes sociais, afirmando que mandou afastar todos os envolvidos no atendimento à gestante, em uma clara antecipação a possível imagem negativa que o caso pudesse ocasionar. O caso está sendo apurado pela Polícia Civil.

Em nota, a Fundação Santa Casa de Misericórdia se manifestou sobre o caso e disse que a gestante foi atendida em trabalho de parto adiantado. Devido às condições de sua chegada, a paciente evoluiu rapidamente para parto vaginal.

Os médicos afirmam que o feto possuía várias malformações, o que ocasionou uma complicação obstétrica pouco frequente chamada distócia de ombro. Nesses casos, o ombro do bebê fica preso dentro da mãe.

A Santa Casa afirma que todas as manobras previstas na literatura científica foram realizadas com o intuito de despender o ombro e assim liberar o restante do corpo do bebê. No entanto, a Santa Casa afirma que “houve complicações na extração fetal”.

Nota – “A Santa Casa do Pará lamenta profundamente o ocorrido na manhã deste sábado, 17. A instituição informa que a gestante vinda de Ourém recebeu atendimento da equipe assim que deu entrada. Por conta de ser prematuro e de múltiplas deformações fetais e apresentar tecido amolecido, foram realizadas diversas manobras para a retirada do mesmo, ainda assim houve complicações na extração fetal. A Santa Casa do Pará está dando todo apoio à família e já abriu uma investigação para tomar as devidas providências internas para apurar todo o ocorrido durante o atendimento”.

Fontes: G1 Pará e Roma News

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar