POLÍTICAREGIONAL

Setor produtivo do Pará reage a empresários do Sul/Sudeste do Brasil: “Tomaram para si a discussão sobre o destino da Amazônia”

O Centro das Indústrias do Pará – CIP – publicou nota de indignação contra empresários do Sul e Sudeste do Brasil que estão pressionando o congresso por políticas de proteção ambiental mais rígida para a Amazônia.

Na última terça-feira, 28, empresários da Abiove (Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais), Itaú, Santander, entre outras empresas e entidades fizeram uma investida no congresso em “defesa” da Amazônia.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), se reuniu pela manhã com executivos de diversos ramos da economia. Ele se comprometeu a criar um grupo de deputados para debater o tema.

Entre os que participaram da reunião com o presidente da Câmara está Paulo Hartung, presidente executivo da Iba, associação que reúne a cadeia produtiva de árvores cultivadas para fins industriais e ex-governador do Espírito Santos.

Para o CIP, os empresários de fora da região amazônica estão “tomando para si, mais uma vez, a discussão sobre o destino da Amazônia”.

De acordo com o CIP, os empresários teriam assinado um documento contendo inverdades sobre a Amazônia e eles seriam “neófitas sobre a Amazônia, desconhecem nossas particularidades, realidade e expectativas”.

“Há os que conhecem a Amazônia através da janela de jatinhos executivos quando sobrevoam nossa região por ser rota com destino a Miami”, diz a nota.

O CIO cobra reação e união da classe parlamentar e de entidades de classes da região amazônica.

“Sabemos que o que move os mentores destes senhores não é o bem-estar do povo da Amazônia, e sim o que estão oferecendo aos seus clientes externos, a intocabilidade e o imobilismo de nossa região pela facilitação de seus interesses comerciais”, conclui.

Confira a nota:

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar