NOTÍCIAS

Prestes a completar duas semanas, servidores do Detran-PA em greve fazem protesto na Alepa

Prestes a completar duas semanas, os servidores do Departamento de Trânsito do Estado do Pará (Detran-PA) realizam ato público na frente da Assembleia Legislativa do Estado do Pará (Alepa) nesta terça-feira, 18. O ato começou às 9h. Após uma série de ações de mobilização e manifestações na frente do órgão, na Casa Civil e nas Circunscrições Regionais de Trânsito (Ciretrans) pelo Estado, o Sindicato dos Trabalhadores de Trânsito do Estado do Pará (Sindtran-PA) se somará a outros servidores públicos estaduais para protestar pela atualização do Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR), concurso público e melhoria da infraestrutura do órgão.

“Nós estamos abertos à negociação. Eles sabem que a greve é forte e pode crescer dependendo dessa postura de não negociar, principalmente devido ao não encaminhamento do nosso anteprojeto de atualização do PCCR para aprovação ainda no mês de junho para a Alepa. Esse é o objetivo principal da nossa luta. Por essa atitude de não negociar, não receber os representantes e não querer dizer como está o nosso projeto, que hoje está tramitando dentro dos órgãos de governo, fez com que fossemos para a greve”, detalhou o presidente Sindtran-PA, Denis Sampaio.

Junto com o Sindtran-PA estarão também os servidores do Sindicato dos Docentes da Universidade do Estado do Pará (Sinduepa), Sindicato dos Servidores Técnico-Administrativos da UEPA (Sintauepa), Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Educação do Estado do Pará (SINTEPP), e Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras da Gestão Ambiental do Estado do Pará (Sindiambiental).

O movimento vem ganhando força principalmente no interior do Estado. No final da última semana, mais duas Ciretrans paralisaram as atividades. “Há um processo de mobilização crescente nas unidades do interior. Evidentemente nós fazemos o tempo todo o processo de mobilização entre recuos e avanços. A greve do Detran é forte e é uma área importante para o governo, porque eles sabem que o Detran é o segundo maior órgão de arrecadação do Estado”, explicou Denis.

O Sindtran também divulgou um comunicado denunciando a precarização do órgão de trânsito estadual nos últimos anos. Dentre os graves problemas estão a não realização do concurso público para 28 cargos há 18 anos totalizando a falta de mais de 800 servidores, utilização de terceirizados; contratações milionárias de empresas para prestar serviços que juntas somam mais de R$ 707 milhões aos cofres públicos, enquanto os salários dos servidores estão defasados há 6 (seis) anos.

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar