Coluna

Vamos vender o Edmilson

Li outro dia que os nossos camaradas russos estão vendendo a múmia de Lênin para cobrir as despesas com o coronavírus. Pensei aqui com os meus botões: vamos vender o Edmilson. 

Ora, ambos já não servem para nada há muito tempo, têm a mesma linha ideológica. Por que não vendê-lo também, pombas?!! 

Algum crítico de plantão poderia observar que Lênin está morto e conservado como múmia. Não vejo aí empecilho algum. 

Edmilson pode não estar morto, mas se finge de morto muito bem nas horas que lhe convém, como diante de todos os escândalos envolvendo o Governo do Estado em época de pandemia. E, convenhamos, com tantas aplicações de botox que fez, a esta altura, já está embalsamado com toda certeza.

No site ranking dos políticos, Edmilson aparece em 569º lugar, com pontuação negativa de – 103, mas ainda poderíamos, em nome dos velhos tempos, faturar algum vendendo o eterno “prefeito criança. 

Então, “quem compraria o Edmilson?”. Alguém poderia perguntar. 

Não sei, as mesmas pessoas que comprariam Lênin, talvez. Afinal, para que se compra uma múmia? A resposta é simples: para não correr o risco de vê-la despertar dos mortos e continuar ali, estática, muda, calada, como múmia, enquanto o mundo gira e as coisas acontecem.

Etiquetas

Artigos relacionados

2 Comentários

  1. Ao ser comparado com Lênin, tenho mais um motivo para votar no “Prefeito Criança”, o único que nossa cidade teve. Já pensou se fosse comparado às múmias do Egito, como o Prefeito 3S???

  2. Ao ser comparado com Lênin, tenho mais um motivo para votar no “Prefeito Criança”, o único que nossa cidade teve. Já pensou se fosse comparado às múmias do Egito, como o Prefeito 3S???

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar