CRIMENOTÍCIASREGIONAL

O “V” da morte. Jovem é confundido como integrante de facção e é alvejado a tiros, em Parauapebas (PA)

João Guilherme Abreu, 20 anos, foi executado a tiros, por volta das 16h30 do uúltimo sábado, 11, no Bairro Liberdade, em Parauapebas (Pará). Ele retornava de um banho de rio com amigos, quando um homem que estava na garupa de uma motocicleta atirou contra o jovem.

De acordo com informações de testemunhas, o motivo do crime teria sido a guerra entre facções criminosas por pontos estratégicos de venda de drogas na cidade. João Guilherme não pertencia a facção alguma, mas, equivocadamente, fez um sinal que deu a entender aos criminosos que pertencia a um grupo inimigo ao deles.

“Eles passaram e mostraram três dedos na nossa direção, o João Guilherme mostrou dois. Eles pararam e perguntaram se ele pertencia a alguma facção. Ele disse que não e que havia feito apenas uma brincadeira. Eles, então, disseram ‘presta atenção, presta atenção’ e saíram. Mas, em um minuto voltaram e já chegaram atirando,” conta uma das testemunhas, que pediu para ter a identidade preservada.

Natural de Breu Branco, no sudeste paraense, onde ainda residem seus familiares, João Guilherme trabalhava em uma farmácia do Bairro da Paz, em Parauapebas, há cerca de três meses. Na tarde deste sábado, ele estava visitando um amigo.

Com informações portal Zé Dudu*

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar