ENTRETENIMENTO

Documentário de Bárbara Paz sobre Héctor Babenco representará o Brasil na corrida ao Oscar 2021

A Academia Brasileira de Cinema e Artes Visuais anunciou na quarta-feira, 18, que “Babenco – Alguém Tem Que Ouvir o Coração e Dizer: Parou” (2020), documentário dirigido por Bárbara Paz, será o representante brasileiro no Oscar 2021.

A escolha se deu após a deliberação do comitê da entidade, neste ano presidido por Viviane Ferreira (diretora e roteirista), e composto por André Ristum (diretor e roteirista), Clélia Bessa (produtora), Leonardo Monteiro de Barros (produtor de cinema e TV), Lula Carvalho (diretor de fotografia), Renata Maria de Almeida Magalhães (produtora) e Toni Venturi (diretor).

Ao todo, 19 longas-metragens estavam aptos a concorrer. A a entidade brasileira foi recentemente reconhecida pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood como a única responsável pela seleção do representante brazuca, afastando assim intenções manifestadas do governo brasileiro de interferir para garantir que o escolhido fosse ideologicamente alinhado consigo.

Documentário – “Babenco – Alguém Tem Que Ouvir o Coração e Dizer: Parou”, que chega aos cinemas no dia 26 de novembro, traça um paralelo muito sensível entre a arte de Hector Babenco e a doença que acabou lhe vitimando fatalmente. Os medos e as ansiedades do artista, cujo vigor intelectual encontrou um contraponto violento na debilidade física.

O ator norte-americano Willem Dafoe é produtor associado desse filme selecionado para mais de 20 festivais internacionais. Entre as distinções recebidas, destaque ao prêmio de Melhor Documentário na Mostra Venice Classics e o prêmio Bisato D’Oro 2019 (Prêmio Paralelo ao 76º Festival Internacional de Cinema de Veneza dado pela crítica Independente).

Incomum – É bastante incomum que os países selecionem documentários para tentar uma das tão sonhadas cinco vagas entre os indicados a Melhor Filme Internacional do Oscar – ainda que alguns títulos importantes tenham conseguido essa vaga, como “Honeyland”, da Macedônia, em 2020.

Em decorrência da pandemia da Covid-19, a 93ª edição do Oscar vai ser realizada com atraso, no dia 25 de abril de 2021.

Fonte: Papo de Cinema

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar