ColunaNOTÍCIAS

Bora Belém: muita propaganda, pouco recurso

Por Eduardo Cunha

Talvez você não saiba, mas o filme “Titanic”, de 1997, do diretor James Camaron, com o Leonardo DiCaprio e Kate Winslet brilhando na tela, jovens e belos, custou mais que a construção do próprio navio Titanic, construído em 1912.

Isso mesmo, o transatlântico foi construído na época pelo valor de US$ 7,5 milhões, que corrigidos para valores atuais, sairia a US$ 150 milhões. Já o longa, que contou uma história de amor, custou nada mais, nada menos, que US$ 200 milhões. Titanic foi por muito tempo o filme mais caro já produzido no cinema mundial.

Mas qual é a surpresa? Afinal, como todos sabemos “propaganda é a alma do negócio”, não é, o que dizer das fotos de perfil no Tinder?

O governo de Edmilson Rodrigues (PSOL) resolveu seguir esta fórmula ao iniciar a execução do programa de ajuda assistencial, Bora Belém, ou seja, com farta e cara propaganda.

Exibida em um dos horários mais nobres e caros da emissora mais cara, a Globo/TV Liberal, o comercial anuncia “Bora Belém, garantindo uma renda para quem mais precisa”

Curioso, para quem não tinha dinheiro suficiente nem para o pagamento do próprio auxílio, ter, agora, dinheiro para a propaganda.

Aí é que está o pulo do gato, como dizia o tautológico ditado popular “uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa”. Ou seja, o valor atualmente pago, está muito longe do prometido em campanha e do que insinua a bela propaganda da Prefeitura de Belém.

Para quem não se lembra, me deixe recordar. Edmilson só ganhou as eleições para prefeito de Belém, porque anunciou que daria um auxílio de R$ 450,00 para pessoas em situação de vulnerabilidade social.

Já eleito, restringiu substancialmente o alcance de quem poderia receber o auxílio e diminuiu o valor para “até” R$ 450,00.

A Câmara Municipal bem que tentou apresentar emenda para unificar este valor de R$ 450,00 e transformá-lo em fixo, como na propaganda de campanha de Ed/50, mas a maioria da Casa, apoiada pelo próprio prefeito, barrou a mudança.

Na verdade, são bem poucos os que ganham o valor de R$ 450,00 pelo programa Bora Belém, precisando ser mulher, de renda per capita mensal inferior ou igual a R$ 89,00, com 4 filhos ou mais, inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico).

Ora, onde mais as pessoas são tão felizes se não em um comercial de margarina?

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar