NACIONALNOTÍCIAS

Prefeito de Chapecó (SC) distorce fatos ao atribuir redução de números da Covid a tratamento precoce

O prefeito de Chapecó (SC), João Rodrigues (PSD), utilizou informações distorcidas ao afirmar que a cidade está com os números da pandemia em queda e volume de internações por Covid-19 “próximo de zero”.

As declarações foram feitas em vídeo divulgado no domingo, 4, e comentadas pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O prefeito atribuiu a redução à implantação de medidas como a indicação de “tratamento precoce” contra a doença, entre outras.

Entre as informações omitidas pelo prefeito está a de que os índices somente começaram a cair após a imposição de um lockdown, entre 22 de fevereiro e 8 de março.

Até Rodrigues assumir a prefeitura, em janeiro, Chapecó somava 123 óbitos por Covid-19. Desde então, a taxa cresceu mais de quatro vezes, chegando a 537 na segunda-feira, dia 5.

Estatísticas – Quanto ao número de casos ativos, eram 941 em janeiro. O número se manteve estável até início de fevereiro, quando havia perto de 800 moradores com a doença, mas, a partir de então, seguiu numa crescente, chegando a 5.000 em 1º de março. Agora, chegaram a 392, segundo boletim epidemiológico da prefeitura.

Apesar de o volume de internações ter diminuído nos últimos dias, o índice continua acima do patamar do início do ano. Em 5 de janeiro, a cidade tinha 69 pacientes internados. Um mês depois, chegou a 84. Já em 5 de março, eram 351. E, nesta segunda-feira, somavam 193 internações.

Logo que assumiu em janeiro, Rodrigues montou em Chapecó um ambulatório especializado no chamado “tratamento precoce”, com indicação de remédios como ivermectina e azitromicina em pacientes com Covid-19. As substâncias não têm eficácia contra a Covid-19.

Fonte: OutLine

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar