ENTRETENIMENTONOTÍCIAS

Chef Léo Modesto representa o Pará no programa Mestre do Sabor

Léo Modesto tem 34 anos, é paraense e tem as raízes bem fincadas em Curuçá, município do nordeste do Pará, microrregião do Salgado. Mora em Belém, mas faz sucesso no mundo, com sua cozinha autoral, temperada com lembranças afetivas e as tradições amazônidas parauaras.

O paraense Léo Modesto se comoveu ao relembrar de sua origem humilde e, no palco, não conteve as lágrimas ao contar para Claude que seu prato remete à infância. O chef também se emocionou quando Leo Paixão e Kátia Barbosa apertaram o botão verde para seu prato. Léo Modesto acabou escolhendo o time da mestre carioca.

Léo Modesto é uma das estrelas do reality “Mestre do Sabor”, da TV Globo, em sua terceira temporada. E para a estreia no programa escolheu um prato que representa a cultura alimentar cabocla, a poqueca de pirarucu com taioba.

Léo trabalhou em restaurantes, lanchonetes, pizzarias, churrascaria e até foi cozinheiro da polícia civil. Conseguiu cursar a faculdade e se graduar no curso de Gastronomia. Daí foi um salto para o sucesso. Ganhou concursos de renome internacional, virou personal chef e professor de culinária amazônica, e implantou seu sonho, o Sítio Mearim, na sua terra natal, onde cultiva com a ajuda da família os ingredientes que fazem toda a diferença dos pratos que cria e que estão disponíveis para venda aos amantes da boa comida.

O chef explica o que é o prato que ele criou: “Poqueca é um peixe assado envolto em folhas. E a dica que eu dou para essa preparação é selar o peixe, depois envolver na folha e levar ao forno. Se quiser proteger a taioba, pode envolver com uma outra folha, de couve ou bananeira, e com isso conservar a tonalidade verde, assim ela fica bem cozida e o peixe não fica seco”.

A taioba, para quem não sabe, é do grupo das PANCs (plantas alimentícias não convencionais), vegetal verde-escuro parecido com a couve.

O programa “Mestre do Sabor” vai ao ar toda quinta-feira, depois da novela “Império”.

Com informações de Franssinete Florenzano

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar