CRIMENOTÍCIAS

Presídios do Pará suspendem visitas após ataques do Comando Vermelho

Mais um momento tenso para quem trabalha nas casas penais do estado do Pará. Em edição extra do Diário Oficial publicado nesta segunda-feira,12, o governo do Pará determinou a suspensão de visitas em um período de 30 dias.

A determinação acontece depois de dois casos de violência registrados neste último final de semana na região metropolitana de Belém. Dois policiais penais sofreram atentados quando chegavam em suas residências, um deles foi morto. O outro está internado no hospital, mas não corre risco de vida.

LEIA MAIS: Policial penal sofre tentativa de homicídio em Belém

De acordo com o governo, os casos aconteceram após membros do Comando Vermelho Rogério Lemgruber (CVRL) anunciarem o  chamado “Salve Geral”, que ordena a retomada de ataques e atentados contra a vida dos membros da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap).

No documento, o governo paraense admite que há uma guerra declarada oficialmente entre as lideranças do CV e o Estado e relembra dos dois últimos casos de violência contra agentes penais.

Tendo em vista esse cenários, foram suspensas todas as visitas programadas aos estabelecimentos penais do Pará, pelo período mínimo de 30 dias ou até que o retorno da normalidade carcerária seja restabelecido, assim como a segurança necessária para o prosseguimento das atividades rotineiras.

Advogados terão que agendar visitas com antecedência de 48h por meio do sistema eletrônico. Essas visitas só poderão acontecer de segunda a sexta até as 17h.

Novos ataques a Policiais – Na noite desta segunda-feira foram registrados dois ataques a policiais militares na Grande Belém. No bairro do Telégrafo, em Belém, um assaltante foi morto e outro ficou ferido ao tentar roubar o carro de um policial militar da reserva.

Em Marituba, o Policial Militar Marivaldo Lopes da Silva, de 49 anos,  cedido à Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), foi morto a tiros quando o PM chegava a sua casa, na rua São Francisco, bairro Novo de Marituba. De acordo com testemunhas, Marivaldo e sua esposa estavam chegando do supermercado na noite de segunda. Ele desceu da motocicleta para abrir o portão quando um homem de arma de fogo em punho o abordou, gritando “perdeu” repetidas vezes.

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar