BELÉMNOTÍCIAS

Polícia Militar coíbe manifestação de apoiadores de Bolsonaro pelo dia 31 de março, em Belém

Pensando em celebrar o dia 31 de março, quando há 57 anos, o Brasil sofreu um Golpe de Estado, liderado pelas Forças Armadas, apoiadores do presidente Jair Bolsonaro foram presos nesta quarta-feira, 31, por fazer aglomeração. Cerca de dez manifestante se dirigiram para a frente do quartel do Comando Militar do Norte, que fica na rua João Diogo, no bairro da Cidade Velha, para fazer o protesto.

A Polícia Militar do Pará, por sua vez, mandou tropa de choque, mais de 50 veículos e dezenas de policiais armados para dispersar essa manifestação atribuída a grupos de direita que promoveram durante esta quarta-feira, 31, em todo o País, o movimento “Intervenção Militar com Jair Bolsonaro no Poder”. A de Belém foi em frente às instalações do quartel, bem ao lado da praça da Bandeira. A ação policial dispersou os manifestantes e proibiu imagens do evento. 

Foto: Raimundo Paccó / FramePhoto / Estadão Conteúdo

Vendedores e compradores de bandeiras brasileiras também foram ameaçados de prisão em meio ao clima de tensão que se estabeleceu com a chegada do aparato policial.

Dentro do QG da 8ª Região Militar havia apenas observadores da cena, sem qualquer ação. Na praça, pessoas que se negavam a abandonar o local, inclusive idosos, ouviram alguma coisa correspondente à voz de prisão e se acomodaram.

Um dos manifestantes chegou a invadir o Comando Militar do Norte para não ser preso.

Foto: Raimundo Paccó / FramePhoto / Estadão Conteúdo

Os manifestantes apoiadores do presidente Jair Bolsonaro, convocados pelas redes sociais, ignoraram o decreto da pandemia do Governo do Estado do Pará proibindo aglomerações. A PM chegou e cerca de dez manifestante foram detidos é encaminhados à delegacia seccional do comércio, no centro de Belém.

Eguchi – O ex-candidato à Prefeitura de Belém em 2020, Everaldo Eguchi estava em Brasília (DF) e de lá mandou um recado aos manifestantes, garantindo que os detidos receberão todo o amparo jurídico.

Veja o vídeo:

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar