BELÉMNOTÍCIASParáREGIONAL

Naufrágio no Pará: empresário procura herói que salvou 50 vidas

O empresário conhecido por atos de solidariedade e empatia nas redes sociais, Fritz postou um vídeo indignado no Instagram pedindo que as pessoas o ajudem a encontrar o homem que salvou tanta gente e não foi valorizado por sua boa ação.

“Infelizmente não viralizou nas redes sociais. Você sabia que ele ainda resgatou 9 corpos, encontrou 5 mil reais, devolveu à polícia, perdeu todo o material de pesca e ainda recusou PIX de uma das mães das crianças que ele resgatou?”, questionou Fritz no vídeo.

O empresário quer encontrar o herói para ressarcir os prejuízos que ele teve: “Estou usando meu Instagram para dar valor à atitude desse cara, que eu estou em busca para tentar reaver tudo que ele perdeu durante esse ato heroico”.

Pescadores evitaram tragédia maior

O naufrágio aconteceu na Baía de Marajó, no Pará e matou 22 pessoas. Os pescadores tiveram papel fundamental para evitar uma tragédia ainda maior.

Foram eles que ajudaram a resgatar boa parte dos 66 sobreviventes, e também corpos e pertences das vítimas.

A mãe de uma das crianças resgatadas quis dar uma recompensa para o os pescadores, que perderam parte de seu material de trabalho.

Mas eles não aceitaram: ‘Eu falei que não, que dinheiro nenhum paga a vida de ninguém’.

Heróis anônimos e honestos

José Cardoso Lemos, o Zezinho, e o irmão dele, José foram alguns desses heróis anônimos. Ele contaram o que acharam nas águas uma bolsa com R$ 5 mil, e entregaram à polícia.

“Nós achamos sandália, mochila, carteira com documentação, dinheiro… Achamos uma bolsa que estava com R$ 5 mil, que a gente devolveu para o delegado. Uns falaram para mim: eu não tinha devolvido, porque já tinha morrido e você perdeu seu material. Eu disse: a minha consciência que vale com Deus lá em cima. Meu material estava todo na água, mas aquele monte de vida que estava ali vale mais que o meu material”, disse Zezinho em entrevista ao Profissão Repórter.

Quando viram o naufrágio

O barco naufragou na quinta-feira (8). Zezinho e os familiares estavam saindo para buscar as redes de pesca que deixaram na água quando encontraram as pessoas boiando.

O pai de Zezinho também é pescador e usou o próprio barco para salvar 16 pessoas com vida e ainda tirou dois corpos da água.

“O momento mais difícil foi a gente querer salvar tanta gente e não podia, né? O barco é pequeno, vinha tanta gente sentando… Não tinha como. À noite eu nem dormi com trauma”, relembrou José Learte Lemos.

Responsável preso

O homem apontado pela Polícia Civil como responsável pela embarcação que naufragou no Pará foi preso na última terça-feira (13) em Ananindeua, região metropolitana de Belém.

Marcos de Souza Oliveira, de 34 anos, deve responder por dolo eventual pela morte de ao menos 22 pessoas em um naufrágio.

Alguns sobreviventes relataram que os salva-vidas eram velhos e se rasgaram.

O barco funcionava sem autorização das autoridades e saiu de um porto clandestino. Por isso, segundo as autoridades paraenses, não há lista oficial de passageiros.

Assista ao vídeo do empresário Fritz Paixão pedindo ajuda para chegar até o herói que salvou tanta gente nesse naufrágio.

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar