BELÉMNOTÍCIASPOLÍTICA

MP eleitoral acata pedido de impugnação de Edmilson Rodrigues

O Ministério Público Eleitoral emitiu parecer favorável para cassação do mandato do prefeito Edmilson Rodrigues (PSOL) e de seu vice Edilson Moura (PT), pela captação ilícita de votos na campanha eleitoral no ano passado, na qual prometeram vantagens ao eleitor com o programa “Bora Belém”, com a promessa de pagar até R$ 450,00, em forma de auxílio emergencial, durante a pandemia da Covid-19.

Segundo o parecer do MP Eleitoral, “A principal irregularidade  praticada pelo requerido foi a promessa de vantagem financeira no valor de R$ 450  reais para a população mais carente em troca de votos, com a promessa do programa  assistencial “BORA BELÉM” o que resultou em prática ilícita e irregular, pois,  contrariando sua promessa de campanha, divulgou que não seria possível cumprir  referida promessa de campanha”.

O Requerente ainda ressalta o emprenhamento de votos em determinadas urnas, o que resultaria em nulidade da eleição do segundo turno.  Somando-se a isso, relata a interferência de hackers, no chamado cibercrime, no sistema  de apuração das eleições, os quais teriam modificado o resultado das mesmas, e que, diante da impossibilidade na recontagem de votos, o que fere e infringe o princípio da  democracia. 

Conclusão –Com efeito, está demonstrado o uso pelos investigados da influência  exercida por esses nos eleitores do município de Belém, mediante ação planejada para  na campanha eleitoral da propaganda do programa assistencial “BORA BELÉM”, com  fins de vincular os votos dos futuros recebedores do benefício, aos candidatos  investigados. Ante ao exposto, o Ministério Público Eleitoral pugna pela procedência  da ação, com a consequente condenação dos investigados nos termos do pedido”, finaliza o parecer do Ministério Público Eleitoral.

A ação de investigação judicial eleitoral foi ajuizada pelo candidato Everaldo Eguchi, através do advogado Elson Soares.

Leia aqui o parecer do Ministério Público Eleitoral do Estado do Pará.

Fonte: Diógenes Brandão

Etiquetas

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar