ColunaNOTÍCIAS

ALEPA cria dia da oração pelo ”político”

Parece piada de mau gosto, mas não é. Para começo de conversa, a criação farta e aleatória de datas comemorativas parece, sinceramente, coisa de quem não tem nada mais a fazer. Dias santos, ou qualquer coisa que faça alusão à religião, como “oração”, não é lá tão recomendável em um país laico. Agora, criar dia de oração para político, em plena pandemia de covid, enquanto milhares morrem em hospitais lotados e não equipados, muito por culpa de nossos “políticos”, significa o total e completo desprezo pelo bom senso.

Pelo menos nos parece isso e acredito que à população também, no entanto, não foi o que pensou nossos diletos deputados estaduais, eleitos democraticamente pelo povo paraense.

Nesta terça-feira, 20, a ALEPA  aprovou o projeto do Deputado Fábio Freitas(Republicanos) o “Dia da Oração pelas Autoridades da Nação”, ou seja, os ilustres membros do Executivo, Legislativo e Judiciário. Fora os membros do judiciário, que não elegem seus representantes, trocando em miúdos, temos o bom e velho “político”.

Mas você é contra oração? Não se trata de ser contra ou a favor, mas do jeito em que as coisas vão na ALEPA, parece que tudo anda às mil maravilhas. “Sou flamengo e tenho uma nega chamada Thereza”.

Ora, para quem pode trabalhar Home office, ou deixar de trabalhar, estocar comida ou comprar a delivery, como é o caso de nossas autoridades ( políticos), a Covid não passa de um inconveniente sanitário. Para outros, um pouco mais maquiavélicos, uma oportunidade.

Para grande maioria do povo paraense, no entanto, esta é a pior crise epidêmica que o estado já passou, desde a varíola ou a gripe espanhola.

Com efeito, quem precisa de oração é quem tem que trazer comida para casa e está sem poder trabalhar; Quem tem um pequeno empreendimento que, fechado, tem de demitir funcionários; Quem tem que se expor a um ônibus lotado todos os dias; os profissionais da saúde que vivem expostos ao vírus, enfim….

Pensando bem, deputado Fábio Freitas, seria mais oportuno deixarmos a “oração” aos padre e pastores e tirar este dia para percorrer todos os postos de vacinação, hospitais, postos de saúde e sair às praças, feiras, bares, restaurantes e ruas e escutar a população? Olha que pode se surpreender.

Oração é bom, mas no momento, acredito que as pessoas estão precisando muito mais de uma cesta básica.

Pensando aqui com meus botões já me vem uma ideia: que tal criarmos o dia da doação, em que os deputados doam metade de seus gordos salários aos necessitados atingidos pela covid?

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo
Fechar